Diário Virtual

quarta-feira, 18 de maio de 2011

O amor não é terapia



A saudade aqui dentro do peito cresce como mato,
um pedacinho de você em mim ficou,
olho no espelho e tudo o que posso ver é a tua imagem
 refletida,
saudades de uma lembrança vivida;
Encontro-me de frente com o passado,
os risos no terraço, a magia do palhaço,
o teu rosto no retrato;
Olho pro céu e as estrelas refletem o brilho dos olhos teus,
sinto na brisa o teu cheiro pelo ar,
o sussurrar aos ouvidos na tarde de domingo;
Essa saudade aperta,
dói sem jeito, machuca o peito...
O amor não é terapia, mas a saudade tem um pouco
de nostalgia;

Daniela Gomes de Almeida





Nenhum comentário:

Postar um comentário